quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Prefeitura de Porto Alegre amplia ações de prevenção à tuberculose

Do Jornal do Comércio

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) lançará na sexta-feira um conjunto de ações voltadas para amenizar o problema da tuberculose em Porto Alegre. A prioridade será dada para atividades que estimulem a prevenção junto à população em situação de rua e aos infectados também pelo vírus HIV, que têm maior predisposição de contrair a doença e esta tornar-se grave. O perfil predominante de pacientes é de homens negros, entre 29 e 50 anos.

O projeto “Ações Contingenciais de Vigilância, Prevenção e Controle da Tuberculose” visa aumentar a adesão e diminuir a taxa de abandono do tratamento, que, na Capital, é maior do que no resto do Brasil. O enfoque será na sensibilização de pacientes e servidores de saúde.
Dados do Ministério da Saúde indicam que Porto Alegre está entre os municípios brasileiros com maior incidência da doença, taxa de abandono no tratamento superior à da média nacional e de cura de novos casos inferior à verificada no País. A taxa de abandono em 2012 foi de 25%. Em relação à cura de novos casos, o percentual foi de 54%. Os índices propostos pelo governo federal e pela Organização Mundial de Saúde (OMS) são, respectivamente, de 5% para o abandono e de 85% para a cura.

As ações previstas serão realizadas pelo menos até o final do ano. Os recursos foram repassados pelo Ministério da Saúde, através do Programa Nacional de Combate à Tuberculose. As atividades ocorrerão na área de Atenção Primária em Saúde, na qual os pacientes fazem seus tratamentos. O foco será na gerência Centro, com pessoas em situação de rua como público-alvo, e na gerência Glória-Cruzeiro-Cristal, em que são tratadas pessoas com coinfecção tuberculose-HIV. “Será um médico, um enfermeiro e um agente de combate de endemias. Além de fazerem a visita e aplicarem os remédios, eles também buscarão a criação de vínculo com cada um, a fim de que as pessoas se comprometam com o tratamento”, afirma a coordenadora da Atenção Primária em Saúde da SMS, Taimara Slongo Amorim.

Segundo ela, para prevenção também serão oferecidas oficinas, principalmente de caráter artístico. “Esse projeto vem na tentativa de criar ações inovadoras, diferentes de tudo que já possamos estar fazendo em relação à adesão e ao vínculo, por parte dos pacientes”, explica. Será oportunizada às pessoas que fazem tratamento nas gerências do Centro e da zona Sul a chance de participar de oficinas de grafite, teatro e dança. O grupo criará jingles relativos ao tema, procurando a sensibilização do olhar para a tuberculose. Além disso, a prefeitura desenvolverá um documentário junto aos pacientes.


Publicado na edição impressa de 14/01/2015 

Nenhum comentário:

Postar um comentário