segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Projeto universitário leva mutirão de saúde aos presídios


A equipe é formada por 19 pessoas, envolvendo alunos de mestrado e doutorado, graduação e profissionais da área de saúde


Um projeto desenvolvido pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) em conjunto com a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul vai verificar a prevalência de tuberculose e doenças sexualmente transmissíveis nos presidiários e servidores do sistema prisional do Estado.

Com a anuência da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), a pesquisa será feita em unidades penais de regime fechado de Corumbá, Dourados, Três Lagoas, Ponta Porã e Campo Grande.

Sob a coordenação do doutor Júlio Henrique Rosa Croda, a equipe é formada por 19 pessoas, envolvendo alunos de mestrado e doutorado, graduação e profissionais da área de saúde.

A ação abrange a realização de entrevistas sobre exposição à tuberculose e risco de DSTs, além de coleta de sangue, escarro e teste tuberculínico.

Com duração aproximada de três meses, o projeto pretende atender a cerca de 4070 pessoas nas unidades penais dos cinco municípios. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário