sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Itaboraí e Cruz Vermelha juntos contra a tuberculose

Por: Prefeitura de Itaboraí

Itaboraí e Cruz Vermelha vão assinar acordo de cooperação para combater tuberculose

A secretaria municipal de Saúde e a Cruz Vermelha Brasileira, filial Itaboraí, vão assinar, nos próximos dias, um acordo de cooperação técnica para realizar ações educativas no combate à tuberculose e busca de pacientes com sintomas da doença respiratória. A parceria foi lançada na tarde de quarta-feira (06), dia Estadual de Conscientização e Mobilização de Combate à Tuberculose, durante um seminário realizado no Salão Nobre da Prefeitura Municipal.

Participaram da cerimônia representantes do governo local, da secretaria estadual de Saúde, do Grupo Pela Vidda Niterói (organização não-governamental formada por pessoas vivendo com HIV e AIDS), Conselho Municipal de Saúde, Fórum ONGs Tuberculose (que atuam no combate à tuberculose e o vírus HIV/AIDS), Associação de Mulheres e Amigos do Morro do Urubu (AMAMU) - localizado no bairro de Pilares, zona norte do Rio de Janeiro - e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), além de trabalhadores das empresas prestadoras de serviços para o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) e dos núcleos de Educação Permanente Educação em Saúde.

De acordo com a coordenadora do programa de Combate à Tuberculose, Maria José Fernandes Pereira, que esteve acompanhada pelas coordenadoras das Unidades Básicas de Saúde, Lúcia Helena Rodrigues, e dos programas de Atenção Básica, Josemar Alves, a parceria terá a duração de um ano e os voluntários serão capacitados para orientar e identificar casos suspeitos dentro das comunidades para encaminhar às Unidades de Saúde da Família.

“Nossa estratégia com este evento era envolver a sociedade civil organizada na luta contra tuberculose. Além de ser uma entidade de reconhecimento internacional, a Cruz Vermelha trabalha com ação humanitária, que é essencial para o desenvolvimento de nosso programa junto aos pacientes. Já estamos mapeando o município para verificar locais com maior incidência da doença e vamos somar esforços para que possamos diminuir os focos de tuberculose em Itaboraí”, afirma, salientando que também convidou o Lions Clube e o Rotary Club para participar do projeto.

A representante da coordenação estadual do Programa de Combate à Tuberculose, fisioterapeuta Cláudia Márcia Noronha, vê com entusiasmo o acordo de cooperação.

“Temos que deixar a população cada vez mais esclarecida e lutar contra o estigma associado à tuberculose. A experiência de Itaboraí poderá servir de modelo para as outras cidades que ainda lutam contra altos índices de mortes,”, afirmou.

Indicadores

De acordo com dados da Vigilância Epidemiológica, em 2013 foram registrados 134 casos de tuberculose em Itaboraí. A taxa de incidência média foi de 58,8 casos por 100 mil habitantes entre os anos de 2002 e 2013. Nos últimos 11 anos, o município apresentou taxas médias de cura de 78,6% e de abandono em 5%. O Ministério da Saúde determina como indicadores desejáveis, taxa de cura acima de 85% e de abandono abaixo de 5%.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), a cada ano, 8,8 milhões de pessoas desenvolvem a tuberculose e 1,6 milhão de doentes morrem. E de acordo com a Organização Pan-americana de Saúde, o Brasil melhorou no que diz respeito ao combate à tuberculose, mas ainda é o único país das Américas que está na lista das 22 nações com mais casos da doença no mundo. Dados da entidade indicam ainda que o Rio de Janeiro é o estado brasileiro com mais mortes por tuberculose.

Um comentário:

  1. Parabéns Itaboraí, mais uma vez se destacam na luta contra a tuberculose, parabéns aos profissionais de saúde engajados, articuladores, mobilizadores, atuantes nas ações que promovem uma melhor qualidade de vida aos pacientes com tuberculose e com a população como um todo.

    ResponderExcluir