quarta-feira, 8 de abril de 2015

PNCT e Departamento de AIDS lançam o selo da luta contra a coinfecção TB-HIV

Impossível falar de Aids e não falar de Tuberculose (TB). Atualmente, cerca de 10% das pessoas diagnosticadas com tuberculose têm HIV/aids. Quando comparadas à população geral, as pessoas vivendo com HIV/ aids (PVHA) apresentam risco 29 vezes maior de desenvolver tuberculose e menor proporção de cura. O abandono de tratamento também foi maior entre os casos de coinfeção TB-HIV. 

Tal situação explica o fato desta população ser alvo de diversas ações do Programa Nacional de Controle da Tuberculose (PNCT) e do Departamento de DST/Aids, do Ministério da Saúde

Assim, o PNCT e o Departamento de AIDS têm buscado desenvolver novas estratégias de comunicação para dar maior visibilidade à coinfecção TB-HIV. As recomendações são muitas, no entanto, a mais básica delas ainda não é seguida à risca: a oferta de diagnóstico para HIV/aids para aqueles que foram diagnosticado com tuberculose, e vice-versa. Em 2011, apenas 63% dos casos novos de tuberculose realizaram o teste para a HIV.

Desta forma, além das capacitações, publicações, seminários e inúmeros trabalhos que já são realizados, a criação de um selo para alertar sobre a coinfecção TB-HIV é mais uma oportunidade de dar visibilidade ao tema.

Este selo é nosso, sejamos governo, acadêmicos ou representantes da sociedade civil, e deve ser utilizado em toda e qualquer oportunidade cujo tema seja coinfecção TB-HIV. Materiais para evento, apresentações em congressos, convites, camisetas e publicações são algumas opções. Mas o céu é o limite!

Os arquivos estão disponíveis em diversos formatos e tamanhos no acervo do blog.

USEM e ABUSEM.







Nenhum comentário:

Postar um comentário