terça-feira, 24 de maio de 2016

AMR Review lança recomendações finais pedindo por investimentos para evitar o crescimento catastrófico de casos de Tuberculose resistente e outras infecções












*Texto traduzido do Stop TB Partnership

Genebra, 19 de maio de 2016 – As recomendações finais do Review on Antimicrobial Resistance – AMR (Comitê de Resistência Microbiana), liderado por Lord Jim O’Neill e apoiado pelo primeiro-ministro britânico David Cameron, foram lançadas hoje, alertando que as infecções resistentes, como a tuberculose drogarresistente (TB-DR), matarão, a cada ano, 10 milhões de pessoas se não houver uma expansão urgente de novos recursos e fundos. O relatório oferece um plano de ação global para evitar as infecções resistentes aos medicamentos, incluindo um chamado para o estabelecimento de um Fundo Global de Inovação de US$ 2 bilhões, para pesquisas clínicas e iniciativas financeiras que desenvolvam novos testes a fim de evitar o uso desnecessário de antibióticos.

O relatório coloca a tuberculose resistente como um “pilar do desafio de controlar a resistência microbiana”, destacando que um quarto das possíveis 10 milhões de mortes por bactérias resistentes até 2050 poderiam ser causadas pela TB-DR, o que representaria uma morte por TB-DR a cada 12 segundos.

O relatório também aponta que o campo para o desenvolvimento de medicamentos para TB sofre de um prologado período de desinvestimento, deixando portfólio de produtos frágil.

“A resistência microbiana é uma das maiores ameaças à saúde desta geração. Este relatório estabelece um plano para governos, empresas farmacêuticas e políticos tomarem ações contra isso”, disse o Dr. Aaron Motsoaledi, presidente do conselho do Stop TB Partnership e Ministro da Saúde da África do Sul.

“Como outras infecções, a negligência relativa da pesquisa para novos medicamentos de TB são uma falha tanto moral quanto de mercado. Estou comprometido em avançar nas ações contra a resistência microbiana e contra a TB e espero que o G20 e outros atores tomem medidas concretas para evitar as dez milhões de mortes por ano previstas para 2050 se falharmos em nossas ações”, complementa Motsoaledi.

O relatório inclui os resultados de novas análises de intervenções de TB comissionadas pelo AMR Review, concluindo que a introdução de novos testes diagnósticos e novos regimes de tratamento poderia salvar 770.000 vidas ao longo da próxima década, destacando o impacto significativo que esses tratamentos teriam.

“A comunidade de TB parabeniza Lord Jim O’Neill e o AMR Review pelo relatório extraordinário. O trabalho do comitê vai ajudar a estimular os líderes mundiais a tratar as infecções resistentes como a TB-DR, que é única infecção de transmissão aérea entre as resistentes, com a mesma urgência e recursos com os quais vem sido tratados os surtos de Ebola e Zika Virus”, afirma a Dra Lucica Ditiu, diretora executiva do Stop TB Partnership.

“As recomendações do relatório para a TB saem na mesma ocasião em que os Estados Unidos lançam o Plano de Ação para o combate a TB-DR (dezembro de 2015), o que garante que a negligência financeira e política que vem sido praticada em relação às infecções resistentes seja indefensável. Estamos completamente comprometidos em trabalhar com os governos para levar o tema às reuniões do G20 e à Reunião de Alto Nível das Nações Unidas para Resistência Microbiana, em setembro, para garantir que as recomendações para AMR e TB-DR sejam cumpridas e que o financiamento seja adequado”, finaliza Lucica.





Nenhum comentário:

Postar um comentário