quarta-feira, 19 de julho de 2017

PLANO NACIONAL PELO FIM DA TUBERCULOSE COMO PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA É DISCUTIDO NO 33º CONGRESSO DO CONASEMS

Aconteceu em Brasília entre os dias 12 e 15 de julho o 33º Congresso do CONASEMS – Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde. Durante a programação, oficinas, seminários, cursos e mesas discutiram importantes temas para a gestão municipal do SUS, como atenção básica, financiamento da saúde, planejamento ascendente, regionalização e organização da rede de atenção à saúde, bem como papel da participação da comunidade no planejamento das ações de saúde.

Na manhã do dia 12 de julho, o Plano Nacional pelo Fim da Tuberculose como Problema de Saúde Pública  foi apresentado aos Secretários Municipais. Essa atividade foi resultado da articulação de representantes da sociedade civil e governo, em reunião para formação do Grupo de Trabalho da Comissão de Seguridade Social e Família para acompanhamento do Plano Nacional pelo Fim da Tuberculose, coordenado pelo Presidente da Frente Parlamentar de Tuberculose da Câmara de Deputados, Antonio Britto.

O Plano Nacional traça as estratégias para acabar com a doença como problema de saúde pública no país até 2035 e define os indicadores prioritários a ser utilizados para o monitoramento das ações empregadas por estados e municípios, entre eles, a redução do coeficiente de abandono de tratamento e aumento no percentual de cura da doença. O plano foi elaborado com o objetivo de subsidiar os coordenadores dos programas locais no cumprimento das metas que estão em consonância com o plano da Organização Mundial de Saúde (OMS) e está alinhado com as políticas do SUS, além de ser um grande avanço para mudar os paradigmas do controle da tuberculose no Brasil.

A pauta no CONASEMS teve como objetivo empoderar os Secretários Municipais de Saúde de todo o país para que elaborem seus planos anuais para o controle da tuberculose com base nessa nova estratégia. A mesa no congresso foi coordenada pelo Deputado Antonio Brito, que na ocasião representava o Grupo de Trabalho de Acompanhamento do Plano Nacional, e teve a presença do Diretor do Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis, Dr. João Paulo Toledo, e da Coordenadora do Programa Nacional de Controle da Tuberculose, Dra. Denise Arakaki.

Nenhum comentário:

Postar um comentário