quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Centro de Referência Professor Hélio Fraga (CRPHF/ENSP/Fiocruz) promoveu, no dia 31 de julho, a abertura do Curso de Especialização em Pneumologia Sanitária

Fonte: Observatório da Tuberculose Brasil



O Centro de Referência Professor Hélio Fraga (CRPHF/ENSP/Fiocruz) promoveu, no dia 31 de julho, a abertura do Curso de Especialização em Pneumologia Sanitária. Na ocasião a Coordenadora do Programa Nacional de Controle da Tuberculose do Ministério da Saúde, Denise Arakaki, apresentou o Plano Nacional de Controle da Tuberculose (PNCT).

O objetivo do curso que está em sua 40°edição se incluirmos as edições do curso na versão aperfeiçoamento, é capacitar profissionais de saúde de nível superior a analisar criticamente, planejar, promover ações e gerenciar programas de controle, desenvolver vigilância epidemiológica,no âmbito da tuberculose.

A especialização é voltada para profissionais de saúde de nível superior que atuam na área de pneumologia sanitária, em especial a tuberculose, ou com interesse e perspectiva de atuar na área de pneumologia sanitária. 

De acordo com a nova classificação da Organização Mundial da Saúde, o Brasil ocupa a 20ª posição na lista dos 30 países prioritários para TB e a 19ª posição na lista dos 30 países prioritários para TB-HIV. 

No Brasil, entre os anos de 2015 e 2016, foram registrados 69 mil casos novos da doença diagnosticados, com cerca de 4.500 mortes em 2015.

O objetivo é acabar com a tuberculose como problema de saúde pública no país até 2035, reduzindo o coeficiente de incidência para menos de 10 casos por 100 mil habitantes e diminuindo também o coeficiente de mortalidade para menos de um óbito por 100 mil habitantes.

Denise Arakaki apresentou a estrutura do Programa Nacional de Controle da Tuberculose 
falou sobre os cuidados integrados, centrado no paciente, tais como: diagnóstico precoce de todas as formas da tuberculose, TSA universal, investigação sistemática dos contatos e das populações mais vulneráveis, tratamento de todas as pessoas com a doença, inclusive drogarresistente, dar apoio ao paciente, testagem e tratamento preventivo para pessoas de alto risco e vacinação. "Agora temos um novo mapa do Brasil e podemos saber qual é o motor da epidemia em cada lugar”

Quanto às políticas e Sistema de Apoio, apontou como fundamental maior comprometimento político, da inovação e pesquisa, alocação adequada de recursos para o cuidado e prevenção da tuberculose, da importância do controle social e do engajamento comunitário das organizações da sociedade civil. Pela primeira vez, o problema será discutido em nível máximo na Conferência de Alto Nível na próxima Assembleia Geral das Nações Unidas em setembro em NY. 

A atividade contou com a participação do coordenador do Hélio Fraga, Jesus Pais Ramos, também representando o diretor da ENSP, Hermano Castro, da representante da Vice-Presidência de Ensino, Informação e Comunicação (VPEIC) da Fiocruz, Maria Cristina Guilam, da representante do Ministério da Saúde e coordenação do Programa Nacional de Controle da Tuberculose, Denise Arakaki, do representante do Observatório Tuberculose Brasil, Carlos Basilia e do representante do Fórum de Tuberculose RJ, Roberto Pereira. 

Conheça o Plano Nacional TB: http://portalms.saude.gov.br/artigos/960-saude-de-a-a-z/tuberculose/41915-plano-nacional-pelo-fim-da-tuberculose


Nenhum comentário:

Postar um comentário