quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Ativistas protestam na Conferência da União Internacional Contra a Tuberculose e a Doença Pulmonar em Kuala Lumpur



Nesta quarta-feira, 14, cerca de 100 ativistas protestaram em Kuala Lumpur, durante o segundo dia da 43º Conferencia Mundial da União Internacional Contra a Tuberculose e a Doença Pulmonar. Eles exigiam metas mais ambiciosas para o controle da tuberculose, financiamento para cumprir estes objetivos e pediam a abolição de termos padrão como "faltoso" e "suspeito" pois acreditam que estes termos podem influenciar negativamente as atitudes e comportamentos dos profissionais de saúde e da comunidade afetada pela doença.

Segundo Blessina Kumar, vice-presidente da coordenação da Parceria Stop TB, esta conferência é o único lugar onde é possível reunir representantes de todo o mundo que atuam no âmbito da tuberculose. "Se fosse para passar sem qualquer visibilidade ativista significativa, nosso apelo por ações permaneceria apenas em palavras. Este ano, nós queríamos que a nossa presença causasse um maior impacto", destacou.

Para ela, a urgência desta luta está de algum modo ausente. "Como ativistas, estamos dispostos a fazer qualquer coisa para garantir que a luta contra a tuberculose esteja na linha de frente dos governos, financiadores e responsáveis pela definição das metas globais para a doença".

Alguns manifestantes carregavam cartazes pedindo "ZERO mortes por tuberculose", "Mais verbas para a TB", ou "Nada para nós sem nós". Outros cartazes carregavam as mensagens "50% não vai cortá-la" e "Sem sangue em nossas mãos" (uma referencia à meta de reduzir as mortes de tuberculose em 50% na era pós-2015 que ainda deixaria 600 mil pessoas morrendo por ano).

William Mbewe, um músico e ativista da Zâmbia, explicou que sua participação na marcha se deve ao fato de ter tido tuberculose. "Eu sofria de tuberculose. Ao longo dos anos muitos amigos meus faleceram por causa do estigma. Então eu decidi seguir em frente e, como uma figura pública, falar sobre esse sofrimento, na esperança de que muitas outras pessoas saiam da escuridão. "

Para ver as fotos da manifestação acesse: http://www.flickr.com/photos/stoptb/sets/72157632006782744/show/ 



Nenhum comentário:

Postar um comentário