terça-feira, 27 de novembro de 2012

UNAIDS e Parceria Stop TB assinam acordo para reduzir mortes de pessoas com HIV e Tuberculose


Da ONU BR

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (UNAIDS) e a Parceria Stop TB  firmaram hoje (27) o acordo Para Atingir Zero Mortes de Tuberculose (TB) entre as Pessoas que Vivem com o HIV, que visa acelerar ações de resposta à TB e à AIDS. A iniciativa quer atingir em 2015 a meta de reduzir em 50% as mortes por TB em pessoas com o HIV.

As duas organizações estão desenvolvendo um plano de trabalho detalhado e assumiram o compromisso de colaborar para alcançar três objetivos dentro dos próximos três anos: aumentar o compromisso político e a mobilização de recursos para a TB/HIV, reforçar a capacidade de conhecimento e envolvimento de organizações da sociedade civil, das comunidades afetadas e o setor privado e ajudar mais países afetados a integrar os serviços de TB/HIV.

Em 2011, na Reunião de Alto Nível da ONU sobre a Aids, os Estados-Membros das Nações Unidas estabeleceram a meta de reduzir pela metade as mortes de TB / HIV em 2015, o que levaria a prevenção de 600 mil vidas. Três quartos dos óbitos por TB / HIV ocorrem  em apenas 10 países, Etiópia, Índia, Quênia, Moçambique, Nigéria, África do Sul, Tanzânia, Uganda, Zâmbia e Zimbabué. Intensificar os esforços nestes 10 países aceleraria significativamente o alcance da meta de 2015.

Pessoas que vivem com o HIV têm 20 a 30 vezes mais chances de desenvolver tuberculose ativa do que as pessoas sem a infecção. Estima-se que 8,7 milhões de pessoas ficaram doentes com tuberculose em todo o mundo em 2011, entre os quais mais de 1 milhão estavam vivendo com a AIDS. O alerta é grande para as mulheres grávidas, pois se a mãe é portadora do HIV e da tuberculose, o risco de morte é alto para a mãe e o filho e as possibilidades de transmissão do vírus para a criança superam o dobro. Em 2011, 430 mil das 1,7 milhão de mortes relacionadas à AIDS, 25% do total, foram causadas pelo HIV associado à TB.

“A TB com o HIV é uma combinação mortal. Nós podemos impedir que as pessoas morram dessa coinfecção, por meio da integração e simplificação dos serviços de HIV e tuberculose”, disse o Diretor Executivo do UNAIDS, Michel Sidibé. “Os objetivos para 2015 são claros, reduzir as mortes de tuberculose em pessoas vivendo com AIDS em 50%”. Podemos fazer isso acontecer, mas só se os serviços forem fortalecidos nos países através de esforços combinados e conjuntos”, completou Sidibé.

Na semana passada, o UNAIDS ressaltou os avanços no combate, ao constatar uma redução de 13% dos óbitos associados à TB/HIV nos últimos dois anos. A diminuição deve-se ao maior número de pessoas com acesso à terapia antirretroviral, um aumento de 45% entre 2009 e 2011.


Nenhum comentário:

Postar um comentário