sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon pede melhorias nas condições de vida em favelas para erradicar tuberculose

*Texto e imagens extraídos do site: ONU Brasil

                                            Família em uma favela em Mumbai. Foto: OMS / David Rochkind

Em conferência no sábado (17) para discutir o financiamento do Fundo Global contra AIDS, Tuberculose e Malária, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, elogiou a iniciativa que já ajudou a salvar 20 milhões de vidas desde sua criação em 2002. Mas alertou que a falta de saneamento e condições de vida em favelas são obstáculos à erradicação da malária e da tuberculose, respectivamente.

Anualmente, o Fundo angaria 4 bilhões de dólares que são investidos em programas coordenados por especialistas locais nos países e comunidades que mais precisam dos recursos. O objetivo é acelerar a resposta às doenças.

O dirigente máximo das Nações Unidas destacou que a erradicação dessas três infecções é intrínseca aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Segundo Ban, apesar de diferentes, todas as metas da Agenda 2030 visam ao bem-estar de todos.

“E é por isso que o Fundo Global acentuou seu foco em direitos humanos, populações-chave e igualdade de gênero em seu novo quadro estratégico”, disse o secretário-geral durante o encontro, em Montreal. Relatórios recentes da iniciativa indicam ainda a importância do investimento em educação para a prevenção do HIV.

Sobre a tuberculose, Ban Ki-moon enfatizou a necessidade de melhorar as condições de vida em favelas urbanas com alta densidade populacional. E para eliminar a malária, o chefe da ONU pediu um gerenciamento mais adequado dos recursos hídricos e das redes de saneamento.

“A cobertura universal de saúde é uma das metas do ODS nº 3”, lembrou o dirigente, que explicou ainda que mais de 40% dos investimentos do Fundo Global vão para o estabelecimento de sistemas de saúde resilientes e sustentáveis. A tendência é de que essa proporção aumente para preservar as conquistas já obtidas.

“Um desafio crescente é a resistência antimicrobiana. Isso ameaça nossa resposta a todas (essas doenças)”, ressaltou Ban.

Para debater esse tema, líderes mundiais se reunirão na quarta-feira (21), em evento paralelo à 71ª sessão do debate geral da Assembleia Geral.

Descrevendo o Fundo Global como um exemplo de sucesso e de amplas parcerias capazes de unir setor privado, sociedade civil, organizações e atores a nível local, o secretário-geral pediu contribuições maiores dos doadores que mantêm a iniciativa. Promessas recentes incluíam a duplicação da verba disponibilizada por empresas para o programa.




Nenhum comentário:

Postar um comentário