sexta-feira, 4 de março de 2016

Rede de Teste Rápido Molecular para Tuberculose ganha publicação sobre seu primeiro ano de implantação

Em 2014, o Ministério da Saúde, por meio do Programa Nacional de Controle da Tuberculose (PNCT/SVS/MS) e da Coordenação Geral de Laboratórios de Saúde Pública (CGLAB/SVS/MS), implantou no país uma rede de diagnóstico de tuberculose, a Rede de Teste Rápido para Tuberculose (RTR-TB). O teste é realizado com a técnica de biologia molecular PCR em tempo real (da sigla em inglês para reação em cadeia de polimerase), denominada Teste Rápido Molecular para Tuberculose (TRM-TB).

Com o objetivo de monitorar a implantação desta rede, mensurar a realização dos testes e auxiliar a vigilância epidemiológica da doença, em junho do mesmo ano, foi iniciado o processo de monitoramento da RTR-TB, por meio da parceria entre o PNCT e os técnicos que atuam nos laboratórios municipais e centrais da RTR-TB. Para documentar o primeiro ano de implantação da RTB-TB foi elaborado o documento “Rede de Teste Rápido para Tuberculose no Brasil – Primeiro ano da implantação”.

No relatório, estão descritas as principais atividades desenvolvidas pelos Programas de Controle da Tuberculose (nacional, estadual e municipal), laboratórios municipais e centrais no primeiro ano de implantação da RTR-TB, os avanços e os desafios, além do monitoramento da produção do período.

A publicação é destinada aos profissionais que atuam tanto em laboratórios quanto nos Programas de Controle da Tuberculose e é um recurso para verificação do andamento da implantação da rede em cada estado, bem como para o monitoramento da vigilância epidemiológica da tuberculose.


Para acessar o documento, clique aqui.


Nenhum comentário:

Postar um comentário