quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Comitê Estadual do RS realiza primeira reunião após formalização por decreto

Do CEETB/RS

Em 1º de agosto foi realizado o primeiro encontro do Comitê Estadual de Enfrentamento à Tuberculose do Rio Grande do Sul (CEETB/RS) desde sua formalização pelo Decreto Estadual 50287 em 30 de abril de 2013. Dentro da nova configuração, o evento já foi organizado pelo Programa Estadual de Controle da Tuberculose em parceria com representantes da sociedade civil deste Comitê.

Além de acelerar o processo de implantação efetiva do Comitê, a reunião teve como objetivo estimular a criação de espaços municipais de discussão, visando a construção de políticas de enfrentamento à tuberculose e a coinfecção TB-HIV, envolvendo gestores e sociedade civil. 

Cerca de 80 pessoas participaram da reunião, entre gestores e sociedade civil, dentre as quais cabem destacar representantes das coordenações de tuberculose dos 15 municípios prioritários.

Também participaram: o Secretario Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul, Ciro Simoni, o coordenador de Vigilância em Saude, Celso dos Anjos, a coordenadora estadual do PECT/RS, Carla Jarczewski, o da Seção Estadual de DST/AIDS, Ricardo Charão, a técnica do Programa Nacional de Controle da Tuberculose, Patricia Werlang e Sonia Pinheiro do Conselho Estadual de Saúde do RS.  

Durante a reunião, Carla Jarczewski apresentou o cenário atual da tuberculose no estado. Em seguida, o Coordenador do Fórum ONG AIDS-RS, Rubens Raffo, relatou sobre as dificuldades do dia-a-dia e do papel dos conselhos de saúde frente ao desafio de se lutar contra a tuberculose e a co-infecção TB-HIV.

A professora Lia Possuelo, da Universidade de Santa Cruz do Sul, fez ainda um breve relato sobre uma pesquisa operacional em TB nos municípios prioritários do RS.

O representante do Movimento dos moradores de rua, Paulo Ricardo da Silva, compartilhou sua preocupação em relação ao ESF sem domicílio que funcionava no Centro de Saúde Santa Marta, onde eram bem atendidos e onde hoje já não recebem a atenção que necessitam.

“De um tempo para cá, temos andado pela cidade em busca de alguém que queira nos atender. Acabamos desistindo", relatou.              

Após algumas articulações foi definido um calendário de encontros até o final do ano, bem como a proposta de Regimento Interno e o processo de eleição da presidência do CEETB/RS.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário