sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Rede Brasileira de Pesquisa em Tuberculose se reúne com presidente da Frente Parlamentar de Luta contra a Tuberculose

Brasília, 10 de novembro de 2015 – Dando prosseguimento ao desenvolvimento da estratégia pós 2015 de enfrentamento à tuberculose e uma continuidade das ações da Frente Parlamentar de Luta contra a Tuberculose, foi realizada, em Brasília, uma reunião entre seu presidente, deputado federal Antonio Brito, o diretor da Rede Brasileira de Pesquisa em Tuberculose (Rede TB), Afrânio Kritski, e representantes do Programa Nacional de Controle da Tuberculose (PNCT).

O objetivo da reunião foi expor e discutir com o deputado os detalhes do pilar 3 da Estratégia End TB, formulada por diversos países no âmbito da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Plano Global do Stop TB Partnership (2016-2020). A estratégia é dividida em três pilares e tem metas ambiciosas para a eliminação da tuberculose no mundo até 2035: redução de mortes por tuberculose em 95% e menos de 10 casos por 100 mil habitantes.

Durante a reunião, o deputado ouviu os questionamentos e solicitações de Kritski, que representa a
comunidade acadêmica. Entre as demandas, está a criação de uma comissão interministerial para colaborar com a elaboração do Plano Nacional para a Eliminação da Tuberculose – desdobramento local da estratégia global. Também foram apresentados documentos como uma nota técnica e a Agenda Nacional de Pesquisa em Tuberculose, dividida em plataformas de pesquisa, compostas pelas lacunas, prioridades e soluções para cada tema. A Agenda Nacional de Pesquisa foi desenvolvida pela comunidade acadêmica (universidades, institutos de pesquisa, etc), gestores do nível federal, estadual e municipal e representantes da sociedade civil e do parque industrial nacional.

Antonio Brito preside a Frente Parlamentar de Luta contra a Tuberculose, formada no âmbito da Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados, com atuação desde 2012.

Para o deputado, esse é o espaço ideal para discussões como essa. “A Comissão é o motor de força da saúde dentro da Câmara dos Deputados. Esse espaço é ideal para trazer à luz informações e demandas da academia e da sociedade civil. O legislativo tem obrigação de discutir esses temas”.

Pilares da estratégia End TB

Pilar 1 – Prevenção e cuidado integrado com o paciente – diagnóstico, busca ativa entre populações vulneráveis, tratamento de todos os casos de TB, manejo de coinfecção, etc.

Pilar 2 – Políticas incisivas e sistemas de apoio – comprometimento político, alocação adequada de recursos, envolvimento comunitário, organizações da sociedade civil, cobertura universal em saúde, proteção social, redução da pobreza, etc.

Pilar 3 – Intensificação da pesquisa e inovação – descoberta, desenvolvimento e rápida absorção de novas ferramentas, pesquisa para otimizar a implantação e impacto das ações, etc.


Clique aqui para mais informações sobre a Estratégia End TB e sobre o Plano Global do Stop TB Partnership (em inglês).


Nenhum comentário:

Postar um comentário