quarta-feira, 9 de maio de 2012


Lançamento da Frente Parlamentar de Luta Contra a Tuberculose

Nesta terça-feira, 8 de maio, foi lançada no Congresso Nacional, a Frente Parlamentar de Luta Contra a Tuberculose, com presença do ministro da Saúde, Alexandre Padilha, do deputado Antonio Brito, das deputadas Janete Pietá, Benedita da Silva, Cida Borghetti e Rosinha da Adefal, do coordenador do Programa Nacional de Controle da Tuberculose, Draurio Barreira e do representante do movimento social em Tuberculose, Carlos Basília.

A constituição da Frente Parlamentar era uma reivindicação antiga de ativistas e gestores da saúde pública e se materializou a partir da iniciativa do Deputado Antônio Brito, membro da Comissão de Seguridade Social e Família, com o objetivo de acompanhar a política nacional de controle da tuberculose, buscando, de forma contínua, aperfeiçoar a legislação relacionada à saúde, assistência social e outras políticas vinculadas, a partir das comissões temáticas nas duas Casas do Congresso Nacional.

Entre os trabalhos a serem desenvolvidos, destacam-se o acompanhamento da elaboração e execução orçamentária para ampliar os investimentos nos programas governamentais, bem como buscar novas formas de financiamento das atividades das Organizações não Governamentais, por meio de emendas, subsídios sociais e projetos de lei.

Durante a cerimônia o coordenador do Programa Nacional de Controle da Tuberculose (SVS/MS), Draurio Barreira, agradeceu à comissão que, liderada pelo deputado Antônio Brito, trabalhou a articulação política dentro do congresso nacional colhendo mais de 220 assinaturas para a constituição da Frente. Lembrou que o Brasil ainda faz parte da lista dos 22 países que juntos reúnem 82% dos casos de tuberculose no mundo, e ressaltou que a criação da frente representa importante passo para o movimento social e para o governo brasileiro na luta contra a tuberculose.

O representante do movimento social, Carlos Basília, disse haver grande expectativa do movimento social com relação à Frente parlamentar. "A maior estratégia de combate à Tuberculose é vontade política. Um país que ocupa o 6º lugar em economia não pode compor a lista dos 22 países com maior número de casos de tuberculose", pontuou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário