quarta-feira, 13 de junho de 2012


Em Brasília, oficina de fortalecimento da vigilância epidemiológica e laboratorial da tuberculose nos povos indígenas da região Norte discute estratégias


O primeiro dia da Oficina de Fortalecimento da Vigilância Epidemiológica e Laboratorial da Tuberculose nos Povos Indígenas da Região Norte foi marcado por apresentações de dados, panoramas gerais e desafios relacionados à tuberculose entre povos indígenas e apresentações específicas de alguns Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI). 

Durante a abertura, o coordenador adjunto do Programa Nacional de Controle da Tuberculose (PNCT), Fabio Moherdai explicou que os municípios prioritários foram escolhidos a partir de critérios, dos quais foram selecionados 67 municípios em todo o território nacional que juntos somam 80% dos casos novos de tuberculose notificados entre os povos indígenas residentes em áreas rurais. Destes, 35 estão na Região Norte, foco do trabalho desta oficina. 

A partir deste contexto, o PNCT construiu uma agenda de atividades relacionadas ao controle da Tuberculose entre povos indígenas, que se iniciou com a realização de mesa redonda com a participação dos responsáveis técnicos dos 34 DSEI durante o V Encontro Nacional de Tuberculose, seguido pela realização desta oficina. 

Além disso, será realizado nos dias 14 e 15 de junho o 1º Seminário Nacional de Mobilização Social para Controle da Tuberculose entre os Povos Indígenas, e também uma Capacitação em Manejo Clínico e Tratamento Diretamente Observado (TDO) para os profissionais de saúde indígena dos 34 DSEI do país, prevista para o mês de julho.

 “É uma sequencia de eventos que demonstram a vontade política de tratar os povos indígenas como prioridade”, destacou Fabio.

A representante da Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI), Ângela Franco, agradeceu o apoio à saúde indígena e ressaltou a importância desta parceria entre o PNCT, CGLAB, e SESAI na busca por ações que qualifiquem o diagnóstico, considerando que a saúde indígena possui particularidades muito específicas, principalmente no que diz respeito à atenção e ao acesso.

Participam do evento, representantes do Programa Nacional de Controle da Tuberculose (PNCT), da Coordenação Geral de Laboratórios de Saúde Pública (CGLAB), Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) e coordenadores estaduais e responsáveis técnicos pela tuberculose dos LACEN, LAFRON e DSEI.

No 2º dia de oficina foram formados grupos de trabalho para discutir problemas e propor soluções criativas para compor o plano de trabalho para a Região Norte.

Para download das apresentações clique pasta 1 e pasta 2
Para as fotos, acesse aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário